T. M. Aveiro and . Relações-brasil-uruguai, Dissertação, 2006.

T. M. Aveiro and . Programa, Ciência sem Fronteiras como ferramenta de acesso à mobilidade internacional, Tear: Revista de Educação Ciência e Tecnologia, p.1, 2014.

T. M. Aveiro, A colaboração entre pesquisadores brasileiros e franceses no programa Capes/Cofecub, vol.16, p.1, 2004.

T. M. Aveiro, O papel da coordenação de aperfeiçoamento de pessoal de nível superior (Capes) na cooperação brasileira para o desenvolvimento internacional (Cobradi), Revista Conjuntura Austral, pp.76-92, 2014.

T. M. Aveiro, . Villas, F. L. Bôas, and L. C. Martins, Contribuições do Programa de Licenciaturas Internacionais (PLI) para a formação inicial de professores brasileiros

. Conlab, . Lisboa, . .. Anais, and . Lisboa, , vol.255, pp.1-5, 2015.

R. Axelrod, The evolution of cooperation, 2006.

R. Balancieri, Análise de redes de pesquisa em uma plataforma de gestão em ciência e tecnologia: uma aplicação à plataforma Lattes, Dissertação, 2004.

R. Balancieri, A análise de redes de colaboração científica sob as novas tecnologias de informação e comunicação: um estudo na Plataforma Lattes, CI. Inf, vol.34, issue.1, pp.64-77

E. Balbachevsky, Recursos humanos em áreas estratégicas para a inovação: a experiência internacional

, Formação de recursos humanos em áreas estratégicas de ciência

E. Balbachevsky and J. Velloso, Doutores na Pós-graduação de Excelência. Um estudo na Bioquímica, Engenharia Elétrica, Física e Química. Brasília: Capes-Unesco, pp.201-216, 2002.

F. A. Barros and . De, Concentração técnico-científica: uma tendência em expansão no mundo contemporâneo, Revista Inovação Uniemp, issue.1, pp.40-41, 2007.

M. Bartell, Internationalization of universities: a university culture-based framework

D. B. Beaver, Reflections on scientific collaboration (and its study): past, present, and future, Scientometrics, vol.45, issue.3, pp.365-377, 2001.

J. Ben-david, São Paulo: Pioneira, 1974. BOLETIM acadêmico científico da embaixada do Brasil na França. Edição Especial: 35 anos Capes-Cofecub, p.14, 2014.

. Brasil and . Presidência-da-república, Plano básico de desenvolvimento científico e tecnológico, 1973.

. Brasil and . Ministério-da-educação-e-cultura, Conselho Nacional de Pós-graduação. I PNPGPlano Nacional de Pós-graduação, 1975.

. Brasil and . Ministério-da-educação-e-cultura, Novas Perspectivas para o sistema de ensino superior -Capes. Operacionalização e implantação do Plano Nacional de Pós-graduação

. Brasília, , 1975.

. Brasil and . Presidência-da-república, II Plano básico de desenvolvimento científico e tecnológico, 1976.

. Brasil and . Presidência-da-república, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. III Plano básico de desenvolvimento científico e tecnológico, 1980.

. Brasil and . Ministério-da-educação-e-do-desporto, Gabinete do ministro. Cooperação Internacional na área da pós-graduação, 1994.

. Brasil and . Ministério-da-ciência, Tecnologia e Inovação. Ciência, tecnologia e inovação: livro branco. Brasília: MCTI, 2001.

. Brasil and . Ministério-da-ciência, Tecnologia e Inovação. Ciência, tecnologia e inovação: desafio para a sociedade brasileira: livro verde. Brasília: MCTI, Academia Brasileira de Ciência, 2001.

. Brasil and . Ministério-da-ciência, Tecnologia e Inovação. Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional. Plano de Ação, 2007.

. Brasil and . Ministério-da-ciência, Tecnologia e Inovação. CNPq. Programa Institutos Nacionais de C&T. Documento de orientação. Brasília, jul, 2008.

. Brasil and . Ministério-da-ciência, Centro de Gestão e Estudos Estratégicos. Livro Azul da 4ª Conferência Nacional de Ciência e Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Sustentável. Brasília: MCTI/CGEE, 2010.

M. H. Freitas, Considerações acerca dos primeiros periódicos científicos brasileiros, Ci. Inf, issue.3, pp.54-66, 2006.

W. Garvey, Communication: the Essence of Science, 1979.

M. Gibbons, The new production of knowledge. The dynamics of science and research in contemporary research, 1994.

A. Gonçalves, L. M. Ramos, and R. C. Castro, Revistas científicas: características, funções e critérios de qualidade, 2006.

D. I. Gonçalves, Pesquisa de marketing pela internet: as percepções sob a ótica dos entrevistados. Revista de Administração Mackenzie, pp.70-88

F. C. Gouvêa, Um percurso com os Boletins da Capes: a contribuição de Anísio Teixeira para a Institucionalização da Pós-graduação no Brasil (1951-1964), 2001.

F. C. Gouvêa and . Da-capes, uma campanha extraordinária, pp.1951-1960

, Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, vol.229, pp.528-542

F. C. Gouvêa, A análise do Boletim Informativo da Capes: contribuições para a historiografia da educação superior do Brasil nos anos 1950 e 1960. Anais da 33ª Reunião da Anual da Anped, 2010.

F. C. Gouvêa, O primeiro decênio: a institucionalização da Pós-graduação no Brasil

, Revista Brasileira de Pós-graduação, Edição Comemorativa aos 60 anos da Capes, pp.1-20, 2011.

J. A. Guimarães and M. C. Humann, Training of human resources in science and technology in Brazil: the importance of a vigorous post-graduate program and its impact on the development country, Scientometrics, vol.34, pp.101-119, 1995.

A. R. Hall and M. B. Hall, A Brief History of Science, 1964.

F. G. Handley, M. S. Anderson, and N. H. Steneck, International Research Collaborations. Much to be gained, many ways to get in trouble, 2011.

. Ipea, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada

A. Abc and . Brasileira-de-cooperação,

, Cooperação Brasileira para o desenvolvimento internacional 2005-2009 (Cobradi)

. Abc, , 2010.

. Ipea, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada

A. Abc and . Brasileira-de-cooperação,

, Cooperação Brasileira para o desenvolvimento internacional 2005-2009 (Cobradi)

, ABC, 2013.

S. Kvale, Interviews: An Introduction to Qualitative Research Interviewing, 1996.

I. Lakatos and A. Musgrave, A crítica e o desenvolvimento do conhecimento, 1979.

B. Latour, . Ciência, and . Paulo, , 1999.

B. Latour, J. Law, and J. Hassard, Actor network theory and after, 1999.

B. Latour and S. Woolgar, A vida de laboratório; a produção dos fatos científicos, 1997.

R. Lestienne, Quatro anos de cooperação universitária e científica entre a França e o Brasil, Diálogos entre o Brasil e a França: formação e cooperação acadêmica. Recife: FJN, 2006.

F. Lestringant, C. De-jean-de-léry-a, and . Lévi-strauss, por uma arqueologia de Tristes trópicos, vol.43, pp.81-103, 2000.

J. Leta and H. Chaimovich, Recognition and international collaboration: the Brazilian case, Scientometrics, issue.3, pp.325-335, 2002.

J. ;. Leta, W. Glanzel, and B. Thijs, Sectoral and institutional research profiles. Scientometrics, Budapeste, v. 67, n. 1, vol.2, pp.87-105, 2006.

L. Leydesdorff, International collaboration in science: the Global Map and the Network. El profesional de la información

L. Leydesdorff and C. Wagner, Is the United States losing ground in Science? A global perspective on the world science system, Scientometrics, issue.1, pp.23-36, 2009.

M. C. Lima and F. B. Contel, Internacionalização da Educação Superior. Nações ativas, nações passivas e goepolítica do conhecimento, 2011.

R. K. Lima and . De, Choques e fusões simétricas e criativas: a internacionalização da Antropologia no quadro de um acordo Capes-Cofecub

. Antropolítica, Revista Contemporânea de Antropologia, vol.30, pp.199-207

M. L. Lombas, A mobilidade internacional de pós-graduandos e pesquisadores e a internacionalização da produção do conhecimento: efeitos de uma política pública no Brasil, 2013.

M. A. Loyola and . Cooperação, Internacional e a Formação de Recursos Humanos no Exterior. Infocapes, Brasília, Edição Especial, pp.50-55, 1994.

M. A. Loyola, A cooperação Capes-Cofecub vista pelos coordenadores de projetos. Documento apresentado no Aniversário de 20 anos do Acordo. Brasília: Ministério da Educação, Coordenação Geral de Programas, 1999.

M. A. Loyola, O papel do Acordo Capes/Cofecub na formulação da política de cooperação internacional e de formação pós-graduada no exterior: 1992-1994, Diálogos entre o Brasil e a França: formação e cooperação acadêmica. Recife: FJN, vol.2, 2006.

C. A. Macias-chapula, O papel da informetria e da cienciometria e sua perspectiva nacional e internacional. Ciência da Informação, vol.27, pp.134-140, 1998.

M. Maestri and . Brasil, Francês: a colonização revisada, Revista Urutágua, vol.14, p.1, 2008.

J. Marcovitch, Cooperação Internacional: estratégia e gestão. São Paulo: Ed. da USP, 1994.

F. Maringe and N. Foskett, Globalization and Internationalization in Higher Education: theoretical, strategic and management perspectives, 2012.

V. Mariz, Brasil-França. Relações históricas no período colonial, 2006.

J. Martin, Vingt ans de coopération universitaire franco-brésilienne éléments de bilan concernant l'accord Capes-Cofecub, IHEAL; OpenEditionbooks, 2000.

M. Martin and S. De, Um diálogo científico permanente, Diálogos entre o Brasil e a França: formação e cooperação acadêmica. Recife: FJN, vol.2, 2006.

G. Martinière, Documento apresentado no Aniversário de 20 anos do Acordo. Brasília: Ministério da Educação, Capes, Coordenação Geral de Programas, 1999.

C. B. Martins, Seminários Regionais de Coordenadores de Projetos Capes/Cofecub. Brasília, nov. de 1998

M. R. Mcneill, Guidelines to problems of education in Brazil: A review and selected bibliography, 1970.

A. J. Meadows, , 1999.

R. Meneghini, The key role of collaborative work in the growth of Brazilian science in the last ten years, Scientometrics, vol.35, pp.367-373, 1996.

K. Minogue, . Conceito-de-universidade, and . Brasília, Editora UnB, 1981.

I. K. Miura and P. Da-universidade-de-são, um estudo em três áreas de conhecimento, vol.33, 2009.

R. C. Monteiro, Inserção internacional da produção de docentes da pós-graduação: um estudo na economia

W. Moreira, Avaliação do estilo de produção e de comunicação de um pesquisador, Produção científica. Campinas: Átomo, 1997.

E. Moura, Avaliação do curriculum vitae de um pesquisador, Produção científica. Campinas: Átomo, 1997.

E. Moura and . Ita--avaliação-da-produção-científica, Produção científica. Campinas: Átomo, 1991.

S. P. Mueller, A publicação da ciência: áreas científicas e seus canais preferenciais. Datagrama Zero: Revista de Ciência da Informação

R. Mugnaini, T. Carvalho, H. De;-campanatti-ostiz, D. A. Poblacion, G. P. Witter et al., Indicadores de produção científica: uma discussão conceitual

M. Org, Comunicação e produção científica: contexto e avaliação. São Paulo: Angellara, pp.313-340, 2006.

R. Mugnaini, P. Jannuzzi, M. De, and L. M. Quoniam, Indicadores bibliométricos da produção científica brasileira: uma análise a partir da base Pascal, Ci. Inf, vol.33, issue.2, pp.123-131, 2004.

P. Navaux, Avaliação do Sistema de Cooperação Capes/Cofecub. Painel do Seminário 10 anos do Acordo Capes-Cofecub. Brasília: Ministério da Educação, Capes, Coordenação Geral de Programa, 1989.

D. M. Neddermeyer, The Brazilian policy of funding scholarships abroad: the case of Capes, 2002.

C. A. Netto, Nas redes do conhecimento (Entrevista), p.57, 2011.

A. B. Neves, 20 anos do ACORDO Capes-Cofecub. Exposição do presidente da Capes. Rio de Janeiro, 1999.

M. A. Nicolato, A evolução da concepção e da linha de ação do Programa Capes/Cofecub. Infocapes, Brasília, pp.4-36, 1999.

B. F. Nunes and . Sistema-de-c-t, Cofecub. R.B.P.G, issue.6, pp.234-253, 2006.

M. L. Ohira, Curriculum Vitae: fonte de avaliação da produção científica de uma pesquisadora, vol.299, 1997.

G. Olinto, A inclusão das mulheres nas carreiras de ciência e tecnologia no Brasil, Inc. Soc, issue.1, pp.68-77

A. B. Oliveira, . De, and J. Z. Carvalho, A formação de Pessoal de Nível Superior e o desenvolvimento Econômico, 1960.

H. V. Oliveira and . De, Fatores influentes na visibilidade internacional da comunicação científica de pesquisadores de instituições da Amazônia brasileira, 2003.

, Organização das Nações Unidas. Carta das Nações Unidas, 1945.

A. L. Packer and R. Meneghini, Articles with authors affiliated to Brazilian institutions published from 1994 to 2003 with 100 or more citations: I -The weight of international collaboration and the role of the networks, Annals of the Brazilian Academy of Sciences, pp.841-853, 2006.

A. L. Packer, R. Meneghini, D. A. Poblacion, G. P. Witter, and J. F. Silva, Visibilidade da produção científica, Comunicação & Produção Científica. Contexto, indicadores e avaliação, 2006.

F. L. Pagliosa, M. A. Da-ros, and . Relatório-flexner, Rev. bras. educ. med, pp.492-499, 2008.

R. Pinheiro, O que nossos cientistas escreviam: algumas das publicações em ciências no Brasil do século XIX, 2009.

C. S. Pinho, C. Haeffner, L. R. Amaral, and S. O. Avellar, Avaliação do processo de seleção dos projetos aprovados no programa Capes/Cofecub, 2004.

B. Rbpg, , vol.12, pp.120-133, 2010.

F. P. Pires, Jean de Léry: Entre a medievalidade e a modernidade, Revista Caminhando, pp.89-112, 2003.

J. Prado, Produção Científica em Biodiversidade, socialização e carreira, 2014.

A. Prata, Reflexões Sobre a Cooperação Internacional, p.9, 2004.

D. J. Price and . De-s.-o-desenvolvimento-da-ciência, análise histórica, filosófica, sociológica e econômica. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 1976.

, Disponível em: <http://inct.cnpq.br/>. Acesso em: 16 de mar, vol.300, 2008.

A. D. Queiroz, 10 anos do Acordo Capes/Cofecub: a evolução do sistema de cooperação interuniversitário. Brasília, Documento não publicado, 1989.

J. Queyras, utilisation des TIC dans l'évaluation d'une politique territoriale de coopération scientifique entre la France et le Brésil: le cas des accords Capes-Cofecub, vol.3

, Rencontres TIC & Territoire: quels développements? ISDM, Lille

, Acesso em: 15 mar, Disponível, 2015.

R. J. Richardson, Pesquisa Social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 1999.

J. R. Rosenau and E. Czempiel, Governança sem governo: ordem e transformação na política mundial

S. Paulo, Imprensa Oficial do Estado, 2000.

R. Rossato, Universidade: nove séculos de história, 1998.

D. Rousseff and . Da-presidenta-da-república, Dilma Rousseff, durante Compromisso Constitucional perante o Congresso Nacional. Brasília: 1º jan, p.12, 2011.

M. Royer, Dix ans de l'accord Capes-Cofecub. Brasília: Ministério da Educação, Capes, Coordenadoria de Cooperação Internacional, 1989.

R. H. Sampieri, C. F. Collado, P. B. Lucio, and . Metodologia-de, , 2006.

R. Sancho, Indicadores de colaboración científica inter-centros en los países de América Latina, Interciencia: INCI, issue.4, pp.284-292, 2006.

F. S. Santos, N. Almeida-filho, and . De, A quarta missão da universidade: internacionalização universitária na sociedade do conhecimento, 2012.

S. D. Santos and . Dos, As revistas científicas e o direito de cópia, 2011.

. Sbpc, Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência. Ciência, tecnologia e inovação para um Brasil competitivo, 2011.

B. Schmidt and C. B. Martins, O acordo Capes/Cofecub no contexto da pós-graduação brasileira, Diálogos entre o Brasil e a França: formação e cooperação acadêmica. Recife: FJN, vol.2, 2006.

S. Schwartzman and . Coord, Ciência e Tecnologia no Brasil: uma nova política para um mundo global, 1993.

S. Schwartzman, ;. Nacionalismo, . Seminário-internacional, M. Fuga-de-cérebros, and . Académica-y-redescientíficas, Internacionalismo en las políticas de formación de recursos humanos de alto nível, Depart. Investigaciones Educativas del Cinvestav e Institut de Recherhe pour leDévelopment, 2009.

S. Schwartzman, C. M. Castro, S. Schwartzman, and C. M. Castro, Pesquisa universitária em questão. Campinas: Editora da Unicamp, Ícone Editora, 1986.

J. Sebastián, Cooperación e internacionalización de las universidades, Buenos Aires: Biblios, vol.1, 2004.

I. Seidman, Interviewing as qualitative research: a guide for researchers in education and the social sciences, 1991.

S. Sharan, Cooperation in Education, 1979.

D. H. Silva, Cooperação internacional em ciência e tecnologia: oportunidades e riscos, In: Rev. Bras. Polit. Int, vol.50, issue.1, pp.5-28, 2007.

E. R. Silva, Avaliação Global do Ajuste Capes/Cofecub. Brasília: Ministério da Educação, Capes, Coordenadoria de Cooperação Internacional, 1994.

M. S. Soares and . Coord, A Educação Superior no Brasil. Caracas: Instituto Internacional para a Educação Superior na América Latina e no Caribe -IESALC -Unesco. Capes, 2002.

J. A. Sotillo, El sistema de cooperación para el desarollo: actores, formas y procesos, 2011.

F. Spagnolo, Asssessment of graduate programmes: the Brazilian Case, 1989.

L. Stallivieri, Estratégias de internacionalização das universidades brasileiras, 2004.

L. Stallivieri, Processo de internacionalização nas instituições de Ensino Superior, p.11, 2002.

J. E. Steiner and G. Nalnic, Ensino Superior: conceito e dinâmica, 2006.

I. R. Stumpf, Passado e futuro das revistas científicas, Ciência da Informação, issue.3, p.1, 1996.

J. Tague-sutcliffe, An introduction to informetrics. Information Processing & Management, vol.28, pp.1-3, 1992.
DOI : 10.1016/0306-4573(92)90087-g

L. Tavares, Rio de Janeiro: Ed. Biblioteca do Exército, 1979.

U. Teichler, The changing debate on internationalisation of higher education, vol.48, pp.5-26, 2004.

H. Théry and . Uma-geografia-da-cooperação-universitária-frança-brasil, Une géographie de la coopération universitaire France-Brésil, analyse des accords Capes-Cofecub, análise dos acordos acadêmicos Capes-Cofecub. Revista da Anpege, vol.15, pp.1-16, 2009.

S. Touval and I. W. Zartman, International Cooperation. Cambridge: Ed, 2010.

M. G. Trigueiro and . Sociologia-da-tecnologia, , 2009.

, Histórico do programa USP-Cofecub, 2015.

S. A. Vanz, As redes de colaboração científica no Brasil, Tese (Doutorado em Comunicação e Ciência)-UFRGS, 2004.

S. A. Vanz, I. R. Stumpf, . .. Anais, and . João-pessoa, A Colaboração internacional no ISI: panorama dos artigos brasileiros nos anos, 2004.

S. A. Vanz, I. R. Stumpf, and . Colaboração, , pp.revisão teórico-conceitual

. Perspectivas-em-ciência-da-informação, , vol.15, pp.42-55

S. A. Vanz and I. R. Stumpf, Procedimentos e ferramentas aplicados aos estudos bibliométricos, Inf. & Soc, vol.20, issue.2, pp.67-75

A. C. Vaz and . Cooperação, , 2002.

L. Velho, Formação de doutores no país e no exterior: estratégias alternativas ou complementares? Dados, pp.607-631, 2001.
DOI : 10.1590/s0011-52582001000300005

URL : http://www.scielo.br/pdf/dados/v44n3/a05v44n3.pdf

L. Velho, Indicadores de C&T: antecedentes e estratégias, México. Anais... México: RICYT, pp.45-67, 1999.

L. Velho, Por um olhar brasileiro na ciência (Entrevista), p.29, 2008.

H. C. Vieira, A. E. Castro, and V. F. Schuch-júnior, O uso de questionários via e-mail em pesquisas acadêmicas sob a ótica dos respondentes, SEMEAD -SEMINÁRIOS EM ADMINISTRAÇÃO, 13., set, 2010.

. Vilan and J. L. Filho, Autoria múltipla em artigos de periódicos científicos das áreas de informação no Brasil, 2010.

E. B. Viotti, Fundamentos e evolução dos indicadores de CT&I, Indicadores de Ciência, tecnologia e inovação no Brasil. Campinas: Editora da Unicamp, 2003.

E. B. Viotti, M. Macedo, and M. De, Indicadores de Ciência, tecnologia e inovação no Brasil. Campinas: Editora da Unicamp, 2003. WIT, H. de et al. Educación superior en América Latina: la dimensión international, 2005.

H. Wit and J. Beelen, Internationalisation Revisited: New Dimensions in the Internationalisation of Higher Education. Centre for Applied Research on Economic & Management, School of Economics and Management of the Hoges School Van Amsterdam

. Amsterdam, , 2012.

H. Wit, Studies in International Education: a research perspective, Journal of Studies in International Education, issue.1, pp.1-8, 1997.

H. Wit, Measuring success in the internationalisation of higher education. EAIE Occasional Paper 22, 2009.

G. P. Witter, Produção científica. Campinas: Átomo, 1997.

B. R. Worthen, J. R. Sanders, and J. L. Fitzpatrick, Avaliação de Programas. Concepções e Práticas. São Paulo: Ed. Gente, 2004.

R. K. Yin, Case Study Research: design and methods, 1994.

J. Ziman, An introduction to science studies: the philosophical and social aspects of science and technology, 1984.

, Accreditation Organisation of the Netherlands and Flanders

A. Brasileira-de-cooperação,

. Ecos-sud,

M. Escola-de,

M. De-l&apos;amérique-latine,

M. Du and B. ,

M. Des and A. Étrangères,

, Ministério das Relações Exteriores: www.itamaraty.gov.br National Science Foundation

S. Paris and C. ,

V. Universidade-de,

C. Da-computação, -6 Meteorologia e Técnicas da Computação

, Física Atômica e Molecular 1.05.06.00-4 Física dos Fluídos, Física de Plasmas e Descargas Elétricas

, Citologia e Biologia Celular 2.06.02.00-6 Embriologia 2.06.03.00-2 Histologia 2.06.04.00-9 Anatomia 2.07.00.00-8 FISIOLOGIA 2.07.01.00-4 Fisiologia Geral 2, Magnéticas Eletrônicas

, 00-7 Genética Humana e Médica 2.02.06.00-3 Mutagênese 2, CIÊNCIAS

, Botânica

, CIÊNCIAS

, MEDICINA, pp.0-1

, Sociologia

, Formulário -Programa CAPES-COFECUB O questionário está dividido em quatro seções: características dos respondentes

, Nome: ___________________ 2. Idade: ______________________ 3. Sexo: Feminino Masculino 4

. Link-para-o-lattes,

C. ,

E. Instituição-de and . Superior,

?. Tem-bolsa-de-produtividade and . Sim-não,

. Se-sim, , p.1

, Fez doutorado pleno ou sanduíche na França? Sim Não Nome da Instituição

, Fez pós-doutorado na França? Sim Não Nome da Instituição: ____________________________________ Programa CAPES-COFECUB

, Ano de início e término do financiamento no âmbito do Programa CAPES-COFECUB para cada projeto contemplado: _____________________________ 16. Instituição(ões) de Ensino Superior parceira(s) no âmbito do Programa CAPES-COFECUB para cada projeto contemplado

. Anexo-g--, Entrevista com colaboradores Entrevista -Programa Capes/Cofecub Data: Local: Nome: Título/função: Endereço eletrônico: Duração da entrevista

, Quais são as suas impressões sobre o Programa?

, De uma maneira geral, qual é a sua opinião acerca da colaboração entre pesquisadores brasileiros e franceses?

O. Em-sua,

, De acordo com a sua experiência, você sabe qual é a origem do programa?

, A que você atribui a continuidade do programa durante seus 35 anos de existência?

, Como você descreveria as evoluções do programa ao longo de sua existência? O programa passou por mudanças?

, Você avalia que o programa tem alcançado seus objetivos? Na sua opinião, quais seriam os principais resultados positivos do programa?

, O programa passou por dificuldades? Se sim, quais seriam?

, Qual é sua opinião acerca da distribuição regional do Programa no Brasil? E na França?

, O programa favorece o fortalecimento das IES participantes?

, Que sugestões você faria para o aprimoramento do Programa?

, Seria necessário, hoje, haver uma nova orientação estratégica do programa? Se sim, qual seria?

O. Na-sua-opinião and . Capes, COFECUB inspira outros programas de cooperação internacional estabelecidos pela CAPES ou por outras instituições brasileiras? Há alguma observação acerca do programa que não foi abordada que o senhor gostaria de mencionar?

, Como o (a) senhor (a) soube do Programa?

, Por que o (a) senhor (a) decidiu se candidatar a um financiamento CAPES/COFECUB?

, Como foram estabelecidos os primeiros contatos com o parceiro francês? Havia contato prévio entre vocês? Antecedentes de colaboração?

, Quais eram os objetivos iniciais? Eles foram alcançados?

, Houve simetria na cooperação?

, Quais foram as eventuais dificuldades enfrentadas no desenvolvimento do projeto?

, Quais foram os resultados apresentados pela cooperação? O senhor poderia exemplificá-los? (por exemplo, número de publicações, patentes, participação em congressos, impacto sobre o desenvolvimento de estruturas de pesquisa

, Além da pesquisa conjunta, as equipes desenvolveram juntas outras atividades? O senhor poderia me dar exemplos?

, Como o senhor (a) avalia a participação dos demais membros da equipe e bolsistas do projeto?

, Houve continuidade da parceria após o fim do financiamento? Se sim, sob quais formas? de pesquisa? Nesse sentido, quais foram os impactos e efeitos mais importantes?

, O programa produziu efeitos no desenvolvimento institucional dos estabelecimentos parceiros? Se sim, quais seriam? 14. No caso específico do COFECUB, houve apoio institucional para a candidatura?

, Sua instituição dispunha de uma política para o estabelecimento de parcerias internacionais? Houve evolução dessa política?

, Na sua opinião, quais os maiores êxitos do programa? E as eventuais dificuldades?

, Quais seriam as suas críticas acerca do formato do programa? Nesse sentido, quais sugestões o (a) senhor (a) faria para o aprimoramento do programa? Os recursos disponíveis são satisfatórios?

, Mais precisamente acerca da atuação da CAPES e do COFECUB, o (a) senhor (a) teria sugestões de aprimoramento?

, O senhor sabe o que significa a sigla COFECUB? E a sigla CAPES?

, Instituição: Área: Formação na França: Instituição francesa parceira no COFECUB: Título do projeto: Ano de início e de término do financiamento no âmbito do Programa: Quantas vezes o pesquisador recebeu financiamento : Número de pesquisadores envolvidos no projeto (não consigo verificar no Lattes): Brasileiros: Franceses: Número de pesquisadores que receberam financiamento para realização de missão (não consigo verificar no Lattes): Brasileiros: Franceses: Número de bolsistas que receberam bolsa no projeto, Guia de informações dos Coordenadores de projetos Capes-Cofecub Nome: Idade: Sexo: Email: Lattes: Bolsa de Produtividade: Cidade e Estado de residência atual

A. De and . Nacionais, Apresentação de trabalhos/palestras: Outros (Especificar): _______________________________________ Produção científica conjunta

. Outros,

A. Carvalho-andrade,

A. Diniz,

A. C. Acevedo,

A. Britto,

A. Barbosa,

, 100% 120%, 1999.

K. Gráfico, 2: Concessão anual do financiamento por gênero na França Fonte: Microdados da Capes. Gráfico elaborado pela autora 0% 20% 40% 60% 80% 100% 120%, 1999.

, Percentual Mulheres Percentual Homens